Fraudes: Como criar estratégia proativa de prevenção

25 | 11 | 2021

431 visualizações

Postado em Blog

O comprometimento das credenciais dos usuários, a falta de conhecimento das técnicas de engenharia social e os esquemas de fraude em rápida evolução são os pontos de grande preocupação.

Todos os dias, atores maliciosos desenvolvem novas táticas para aplicar golpes e fraudes. E o setor financeiro é um grande alvo de ações maliciosas focadas em meios de pagamentos, roubos de cartões de créditos e fraudes eletrônicas com transações interbancárias. O comprometimento das credenciais de acesso e aliciamento fazem parte dos desafios que profissionais de SI, Risco e Prevenção a Fraudes do setor financeiro enfrentam diariamente.

O comprometimento das credenciais dos usuários, a falta de conhecimento das técnicas de engenharia social e os esquemas de fraude em rápida evolução são os pontos de grande preocupação. Esse cenário é tão crítico que a TVD vai reunir amanhã (25) líderes para debater as várias faces da fraude e como criar uma estratégia proativa de prevenção.

De acordo com a Accenture, o custo médio dos crimes cibernéticos para empresas de serviços financeiros em todo o mundo aumentou mais de 40% nos últimos três anos. O phishing é uma das principais causas dessas investidas, muitos cibercriminosos usam engenharia social e criam páginas falsas na internet e até mesmo no WhatsApp para enviar mensagens fraudulentas e coletar dados pessoais.

Neste cenário, a visibilidade e a agilidade na detecção são os pontos principais para prevenir ataques e proteger a organização. Na visão da Appgate, parceira da TVD na mesa redonda, as instituições devem levar suas estratégias para o próximo nível. É preciso acompanhar a evolução das táticas de fraude e estar um passo à frente de agentes maliciosos, antecipando ameaças futuras e possíveis vulnerabilidades encontradas em dispositivos ou redes.

Anchises Moraes, Cyber Evangelista do C6 Bank, Izidio Rosa, Gerente de Segurança e Privacidade da Informação no Paraná Banco, Luiz Sucupira, Gerente executivo no Banco do Nordeste do Brasil, Paula Antunes, Head de Segurança e Proteção de Dados no Will Bank, Paulo Sanches, CISO na SulAmérica, e Ricardo Leocádio, Gerente de Segurança Cibernética e da Informação no Banco Mercantil do Brasil, fazem parte do time de debatedores.

Marcia Di Giaimo, Sales Engineer & CSM, Brasil na Appgate, e Marcos Tabajara, Channel Sales Director, Brazil na Appgate, também compõem a mesa de debate, que está com as inscrições gratuitas. O foco da discussão será em como as equipes de segurança e antifraude podem aprimorar as estratégias de forma proativa.

FONTE: www.securityreport.com.br